Transplante de Córnea

O transplante de córnea hoje pode ser realizado removendo toda a espessura corneana (transplante penetrante) mas pode também ser realizado de forma seletiva ou lamelar (transplante lamelar anterior e transplante lamelar posterior).

Ceratocone é uma das principais causas de transplante. Nesse casos a camada mais interna da córnea não é afetada pela doença. Podemos então realizar um transplante lamelar anterior profundo, conhecido como DALK. Esse é uma cirurgia que pode ser realizada de forma manual ou com laser de femtossegundo. A utilização do laser permite cortes modelados que aumentam a superfície de contato entre o tecido doado e o leito receptor. Isso pode beneficiar o paciente com maior estabilidade da arquitetura corneana, em alguns casos pode-se proceder o transplante com menor quantidade de suturas também.

No caso de uma doença endotelial como uma distrofia endotelial (Fuchs), no período inicial apenas a camada interna é acometida. Procedemos então ao transplante lamelar posterior (transplante endotelial). Nesse transplante existem diversas técnicas conhecidas por siglas como: DMEK, DSEK, DSAEK e PDEK são as mais importantes no momento. É necessário conversar com o especialista para saber o que é melhor para seu caso em particular.